Dorlei formaliza dupla com Aluizio e esperam pelo apoio do PSB em Presidente Kennedy

84

Vice-prefeito eleito em 2016 e prefeito no exercício do mandato desde maio de 2019, quando a titular Amanda Quinta (sem partido) foi afastada pela Justiça, Dorlei Fontão (PSD), o Dorlei da Saúde, teve seu nome homologado como candidato à reeleição, em convenção realizada na noite desta quarta-feira (16), em Presidente Kennedy, no litoral Sul capixaba.

A mesma convenção formalizou também a aliança com o Podemos, partido do deputado estadual Marcelo Santos, para que o ex-prefeito Aluizio Correa seja o candidato a vice na chapa. Por enquanto, a coligação reúne PSD e Podemos, mas poderá ser reforçada, até o dia 26, último prazo para registro de candidaturas, pela adesão do PSB, do governador Renato Casagrande.

O PSD lançou também sua chapa de candidatos a vereadores, com 16 nomes, sendo 10 homens e seis mulheres, enquanto o Podemos terá 14 candidatos à Câmara Municipal, distribuídos em oito homens e seis mulheres. São nove vagas em disputa no município, que tem população estimada pelo IBGE em 11.658 habitantes, mas possui 12.040 eleitores, segundo listagem do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES).
“Nosso nome como pré-candidato surge para que possamos juntos dar o melhor para o nosso município. Temos muitos sonhos, mas também muita responsabilidade para conduzir bem nossa cidade”, disse Dorlei Fontão, sobre sua candidatura.

A composição com Aluízio Correa, que era pré-candidato a prefeito, foi anunciada na semana passada e homologada na convenção conjunta de PSD e Podemos. “Esse é um momento de muita alegria, mas também de muita responsabilidade para que possamos trazer de volta o sorriso para o povo de Presidente Kennedy”, disse o candidato a vice-prefeito.

A chapa Dorlei-Aluizio terá dois concorrentes: pelo PDT, Rubens Moreira é o candidato a prefeito, numa chapa puro sangue tendo como vice Eduardo da Farmácia; e pelo DEM, o ex-prefeito Reginaldo Quinta, que, mesmo com processo com trânsito em julgado e sentença de inelegibilidade por três anos em execução, no caso conhecido como “Operação Moeda de Troca”, resolveu desafiar a Justiça Eleitoral e lançar seu nome para a eleição.
Reginaldo Quinta forma uma chapa familiar, tendo como vice a sobrinha, Geovana Quinta, do Republicanos, partido liderado no Estado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Erick Musso.

Quando foi preso e cassado na Operação Lee Oswald, Reginaldo usou a mesma estratégia de lançar como sucessora também uma sobrinha, Amanda Quinta, que se elegeu em 2012, se reelegeu em 2016. Já no primeiro mandato, Amanda anunciou rompimento com o tio. No ano passado, foi afastada pela Justiça devido a flagrante policial recebendo dinheiro de propina da empresa que prestava serviços de limpeza pública no município.
Presidente Kennedy tem sido fruto da cobiça política e de atividades pouco republicanas nas últimas duas décadas, sendo, por isso, alvo de muitas ações do Ministério Público Estadual e Federal, da Justiça e das Polícias Civil e Federal para coibir a corrupção. Com população pequena, o município é beneficiário de uma alta participação em royalties oriundos da atividade petroleira, tendo um orçamento anual de mais de R$ 400 milhões para ser gerido pelo prefeito. É o maior PIB per capta do Estado e o quarto maior do Brasil.

A Prefeitura tem em caixa mais de R$ 1 bilhão, dinheiro economizado pela administração, e o gasto com pessoal foi de cerca de R$ 86 milhões nos últimos 12 meses, sob a administração de Dorlei Fontão. Ou seja, em relação às receitas, o município gasta cerca de 21,5% com a folha de servidores.