Presidente da Renova será convocado pela CPI da Sonegação

212

O engenheiro florestal André de Freitas, que assumiu a presidência da Fundação Renova em janeiro deste ano, será convocado para depor na CPI da Sonegação tão logo passe a crise da pandemia provocada pelo novo coronavirus e as atividades da Assembleia Legislativa voltem ao normal. A partir de segunda-feira(23), a Assembleia estará totalmente fechada e os servidores trabalhando em regime de home office.

O anúncio da convocação de André foi feito na tarde desta sexta-feira (20) pelo deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), tão logo soube que a Fundação, criada para reparar os danos causados no vale do Rio Doce pelas empresas responsáveis pela representa do Fundão (Mariana –MG) – Samarco, Vale e BHP, não está honrando com o compromisso de indenizar pescadores e produtores rurais atingidos pela “tragédia de Mariana”.

Segundo o deputado teve conhecimento, no final do ano de 2019 e princípio de 2020, a Fundação Renova chegou a indenizar alguns pescadores e produtores desta região capixaba, que sofreu com o recebido dos resíduos de Mariana, vindos pelas águas do Rio Doce.

Enivaldo dos Anjos endossa a opinião segunda a qual “pescadores que não conseguem exercer a profissão devido à contaminação das águas do rio Doce e produtores que viram suas propriedades serem encharcadas no solo pela lama contaminada, ficam agora numa posição de angustia e ansiedade, de ver também a inércia do poder público, que está alheio ao problema”.