Governo do ES decreta estado de calamidade pública para quatro municípios do Sul

30

O governador do Espírito Santo Renato Casagrande (PSB) decretou, nesta segunda-feira (20), estado de calamidade pública para Iconha, Alfredo Chaves, Vargem Alta e Rio Novo do Sul, municípios do Sul do Estado que foram afetados pela chuva da última sexta-feira (17). Ele também anunciou novas medidas para auxiliar na limpeza e na reconstrução das cidades, a exemplo do fornecimento de maquinário pesado.

Em um vídeo divulgado em suas redes sociais, de uma reunião envolvendo representantes de diferentes órgãos do poder público, Casagrande anunciou que caberá à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) fornecer máquinas para a limpeza das ruas e estabelecimentos, como pá mecânica, caminhão basculante e escavadeira hidráulica.

Além de atuar na reconstrução das estradas estaduais, o Departamento de Edificações e Rodovias (DER) também trabalhará na reconstrução das pontes que foram destruídas pela força da água.

O órgão também se envolverá na elaboração de projetos de infraestrutura, já que muitas casas e outros tipos de edificação foram destruídos.

“O trabalho está organizado em cada município, organizado pela Defesa Civil Estadual, para que possamos, de fato, dar o apoio necessário as pessoas neste momento, limpar as cidades, desobstruir as estradas do interior e partir para um trabalho de reconstrução dos municípios e também de apoio às famílias que sofreram com as chuvas”, disse o governador.

Calamidade pública

O estado de calamidade pública é decretado quando há danos à saúde e aos serviços públicos. Nesses casos, há possibilidade de obtenção de recursos federais e estaduais facilitada.

Pessoas fora de casa

De acordo com o último boletim emitido pela Defesa Civil Estadual, divulgado às 17h desta segunda, até o momento 1.625 pessoas estão fora de suas casas no Sul do Espírito Santo, entre desabrigados e desalojados. Uma força-tarefa dos bombeiros trabalha nas cidades e esse número pode aumentar.

Devido às enchentes que destruíram pontes, invadiram casas, estabelecimentos e hospitais e derrubaram edificações, seis pessoas morreram e pelo menos cinco encontram-se desaparecidas.

Situação das cidades

Após a chuva, restou um cenário de destruição nas cidades atingidas. Casas ficaram destruídas, carros foram arrastados e muitos moradores perderam tudo que tinham.

Em Iconha, onde três pessoas morreram em função das chuvas, mais de 30 comunidades estão isoladas e parte da cidade ainda encontra-se sem energia elétrica.

A Defesa Civil Estadual informa que 77 pessoas estão fora de suas casas na cidade e outras três estão desaparecidas.

Nesta segunda-feira (20), moradores trabalham para limpar a cidade. Muitos perderam tudo o que tinham e muitos prédios estão condenados pela Defesa Civil, por apresentarem risco de desabamento.

Um imóvel, inclusive, veio abaixo neste domingo (19). Toda a área comercial da cidade está sem funcionar e os donos de estabelecimentos alegam também que perderam o que tinham.

A situação é semelhante à dos municípios de Vargem Alta, Alfredo Chaves e Rio Novo do Sul. Neste último, uma cratera foi aberta em meio à rodovia ES-375.

Somente em Alfredo Chaves, onde três pessoas morreram, 450 moradores estão desalojados. A cidade registrou o maior volume de chuvas do Estado na última sexta-feira e teve cerca de 90% de sua área afetada, segundo a Defesa Civil.

Lá, moradores também trabalham para limpar as casas e tentar salvar os bens que não foram levados pela chuva.

Alagamentos e deslizamentos de terra também foram registrados em Vargem Alta, onde 15 pontes foram destruídas. O distrito de Jaciguá foi o mais atingido da cidade.

No entanto, os prejuízos também são muitos no Centro. Duas lojas que foram erguidas às margens do rio foram levadas pela água.

Fonte: g1