Em Barra de São Francisco comerciante usa tribuna legislativa para desabafar sobre ações contra a dengue

47

Devido ao grande índice de focos do mosquito transmissor do vírus da dengue detectados em Barra de São Francisco, onde várias pessoas já deram entrada em unidades de saúde do município, além da morte de uma comerciante, Maria José Nogueira, vítima de dengue hemorrágica, e de uma outra mulher, que foi transferida para Colatina com suspeita de dengue hemorrágica, um comerciante, Ademilto Nogueira (foto), usou a tribuna da Câmara Municipal para falar sobre a morte de sua irmã, Maria Nogueira e desabafar sobre o caso.

Ademilton Nogueira, compareceu na sessão legislativa da Câmara Municipal, desta segunda feira, 03/06/2019, onde além de desabafar sobre o fato de ter perdido recentemente, sua irmã Maria José Nogueira, vítima de dengue hemorrágica, fez várias considerações sobre a epidemia da doença pela cidade e sugeriu e cobrou ações.

Visivelmente emocionado, o comerciante lamentou pela morte da irmã, que em suas palavras, era uma pessoa especial e batalhadora e que veio a falecer pela falta de uma conscientização da população, para o efetivo combate do mosquito transmissor da doença.

Ademilto falou sobre o fato de que a Cesan, empresa de saneamento e distribuição de água potável, deveria ser acionada e cobrada, a retribuir o longo período em que explora no município, a concessão desses serviços.

De posse de um documento encaminhado informalmente aos parlamentares, Ademilton salientou que alguns tópicos se destacam como a cobrança da taxa de esgoto por parte da Cesan, despejo de esgoto nos rios da cidade; estação de tratamento (Pinicão), sendo esgoto a céu aberto; alta proliferação de mosquitos vetores (Dengue) devido a essas ocorrências descritas; falta de limpeza nas ruas; falta de manutenção e peças nos veículos que poderiam ser utilizados para tais fins e a coleta seletiva de lixo.

O comerciante lamentou a falta de limpeza nas vias urbanas, latas de lixo que não atendem a demanda da população, bem como a falta de coleta seletiva de lixo, além da inexistência da quantidade suficiente de veículos para atender as necessidades sanitárias.

“Hoje temos muitos veículos parados devido a falta de peças, as quais poderia ser adquiridas por valores irrisórios. Penso que cada Secretaria Municipal, deveria possuir um fundo para serviços do cotidiano que serviria para reparos nestes veículos assim realizando uma manutenção preventiva”, defendeu Nogueira.

Uma das sugestões deixadas pelo empresário para os vereadores e a comunidade, é sobre a fiscalização no município. Ademilton defende que seria interessante que cada cidadão pudesse auxiliar o setor de fiscalização municipal, para que as ações sejam cumpridas, não só pela administração pública, mas também pela população em geral.

“Expor quem ainda em desacordo com as medidas a serem adotadas, que estejam despejando lixo em via pública ou não realizando a coleta seletiva. Quem tenha vegetação alta em sua residência ou terreno baldio e outros”, justificou.

Após sua fala na tribuna naquela cada de leis, o empresário Ademilton Nogueira foi convidado a acompanhar a sessão que tomou rumo nas afirmações deixadas por ele. Vários foram os vereadores que buscaram a tribuna para endossar apoio ao visitante e ao mesmo tempo se solidarizar com ele, pela irreparável perda de sua irmã.

Com informações da: ASCOMCMBSF