Após assassinato de Camata, Hartung pede escolta policial

140

Após o brutal assassinato do ex-governador Gerson Camata, o governador Paulo Hartung decidiu pedir escolta policial. A decisão foi tomada hoje, após o governador se reunir com um grupo de secretários que o teria convencido da necessidade da medida.

“Pretendo pedir escolta. Pelo menos por um tempo, até que essas coisas fiquem calmas”, disse Hartung hoje (28) durante coletiva de imprensa sobre o balanço do governo. Questionado sobre a que “coisas” estava se referindo e se tinha recebido ameaças, o governador se esquivou. “Se tivesse recebido ameaças não falaria, não vou fazer o jogo dos outros. Eu me refiro a esse ambiente ruim”.

A coluna Plenário publicada hoje (clique aqui) traz o debate sobre a necessidade de escolta a ex-governadores que surgiu durante o enterro, ontem (27), de Camata. O chefe da Casa Militar, Coronel Ferrari, disse que nenhum ex-governador, atualmente, conta com escolta. “É preciso solicitar”, disse, ele. Ontem o governador foi questionado pela coluna se pediria escolta, mas não respondeu.

“Não te respondi ontem porque eu ainda não estava convencido. Eu decidi hoje (28) depois de um grupo de secretários ter vindo aqui. Eles me convenceram”, disse Hartung. Entre os secretários que participaram da reunião está o de Segurança Pública, Nylton Rodrigues.

Segundo Ferrari, ex-governadores têm direito a no máximo seis policiais militares na escolta por dois anos, que podem ser prorrogados por mais dois anos.

Fonte: tribunaonlina