Três homens são internados com intoxicação após comerem baiacu

Pelo menos três homens tiveram intoxicação depois de comerem baiacu em Vitória, na tarde deste domingo (31). Eles participavam de uma confraternização em um bar quando comeram o peixe. A comida teria sido oferecida por um dos convidados, e não servida pelo bar.

Duas vítimas foram internadas no hospital Dório Silva, na Serra. Uma delas chegou a ficar na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), segundo a esposa, Lucélia Moreira de Pinho. Agora, de acordo com Lucélia, ele está no quarto em observação.

“Ele estava com o corpo todo tremendo, suava frio. Ele chegou em casa, tomou um banho e deitou. Quando ele acordou, acordou todo dormente. Eu fiquei assustada”, relatou a esposa.

A irmã do outro paciente, Rosana Luz, disse que ele foi levado para atendimento médico depois de ter dormência no corpo. A família ainda não sabe o estado de saúde dele.

“A gente ficou sabendo que ele comeu o peixe no bar. Ele começou a reclamar que estava passando mal. A gente entrou em desespero. O médico disse que não tinha o que fazer, que dependia da reação do corpo, e que ele poderia morrer em 24h”, contou Rosana.

O terceiro homem que teve intoxicação foi atendido no Hospital da Associação dos Funcionários Públicos do Espírito Santo, em Vitória, e transferido para o Hospital Santa Mônica, em Vila Velha. Ainda não há informações sobre o estado de saúde dele.

Os dois internados no Dório Silva não se conhecem, de acordo com a família, apenas estavam confraternizando no mesmo grupo de pessoas. A pessoa que supostamente levou o peixe, considerado venenoso, não foi identificada pela reportagem.

PERIGOSO

O baiacu contém uma substância extremamente tóxica, explicou o médico Marco Antônio Viana Barcelos. Esse veneno fica nas vísceras e na pele do animal, partes que são retiradas durante o preparo para consumo. No entanto, uma pequena quantidade que fique no peixe é suficiente para causar prejuízos à saúde.

“É um peixe muito famoso e muito temido por algumas pessoas. É um peixe que, as estatísticas mostram, leva à morte em média 30 pessoas por ano”, disse.

A Gerente da Vigilância Sanitária de Vitória, Gabriela Almeida, disse que a venda de baiacu não é proibida, mas é necessário ter muito cuidado desde a pesca até o preparo do peixe, já que ele contém uma substância tóxica.

Fonte: gazetaonline