Suspeito de matar mulher na frente dos filhos é preso em Guarapari, ES

Antônio é suspeito de matar a esposa Genaína e estava sendo procurado; foi preso em Guarapari

O suspeito de ter matado a camareira Genaína Gomes dos Santos, o marido Antônio Júnior Cruz da Silva, foi preso por volta das 17h desta quarta-feira (11) em Guarapari, na Grande Vitória. A equipe da Força Tática do 10º Batalhão da Polícia Militar chegou ao local após uma denúncia anônima. Ele foi levado para a delegacia da cidade.

Genaína, que tinha 34 anos, foi morta a facadas por Antônio na casa onde moravam em Cariacica, na madrugada de 5 de dezembro. O crime aconteceu na frente dos quatro filhos dela. Ele fugiu após o feminicídio.

Policiais que participaram da prisão contaram que, após receberem uma denúncia anônima, foram até o bairro Paturá, em Guarapari, e encontraram Antônio na Rua Paraíso.

Ainda segundo a polícia, ele tentou fugir indo para dentro de uma casa, onde se escondeu embaixo de uma das camas da casa, mas foi encontrado. Ao ser questionado, confessou ter matado Genaína.

Segundo os policiais que estavam na ocorrência, a residência é de uma ex-mulher do suspeito, que disse que não sabia do assassinato.

Motivação do crime

O casal tinha três filhos juntos, de 14, 11 e 8 anos de idade. Há um tempo, Antônio foi preso, e como Genaína já queria se separar, acabou assumindo um outro relacionamento. Dessa relação, ela teve um filho, que hoje está com dois anos.

Quando Antônio saiu da cadeia, ele quis retomar o relacionamento e voltar para casa. Os parentes falaram que Genaína não queria, mas acabou aceitando. No mês passado, ela decidiu novamente pela separação e mais uma vez o marido não aceitava.

“Ela mandava ele embora e ele não ia. Aí ele aprontava e pedia perdão, ela perdoava. Ontem ele saiu e quando chegou em casa de madrugada, ela falou que não queria ele mais, e ele pegou e matou ela”, contou a mãe de Genaína, Ângela Gomes.

Dona Ângela contou que a filha de Genaína e Antônio, uma menina de oito anos, tentou ainda salvar a mãe, mas não conseguiu.

O crime de feminicídio é investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM).

Segunda filha morta pelo companheiro

Dona Ângela contou que Genaína foi a segunda filha que ela perdeu uma filha, morta por um companheiro. A primeira tinha 17 anos quando foi assassinada. “Foi em 2005 e hoje mais uma indo embora, meu Deus”, lamentou.

Fonte: g1

Genaína queria o fim do relacionamento e acabou morta pelo marido