Maior parte da lama é retirada de Iconha, ES, e moradores falam sobre recomeço

Dez dias depois do temporal que provocou uma enchente em Iconha, no Sul do Espírito Santo, causando destruição no município, o cenário é bem diferente: onde antes só se via uma camada grossa de lama, o asfalto voltou a aparecer. Isso aconteceu depois que um mutirão foi feito na cidade no sábado (25), com mais de 500 voluntários.

Iconha foi uma das cidades mais afetadas pelo temporal que atingiu o Sul do Espírito Santo no dia 17 de janeiro. O nível do rio subiu mais de cinco metros, invadindo casas e comércios. Quando a água baixou, o que sobrou foram imóveis interditados por causa de risco desabamento, ruas cheias de lama, comunidades isoladas e mais de 1 mil moradores fora de suas casas.

Quem mora na cidade passou uma semana tentando fazer a limpeza das ruas e casas, mas por causa da quantidade de sujeita e entulhos, o governo do estado convocou um mutirão de voluntários para ajudar. Mais de 500 pessoas apareceram.

“Passou muito trator, tirando toda a areia. Tem muita coisa ainda? Tem! Mas perto do que tinha, está ótimo”, disse uma moradora.

Nas fotos, é possível ver a diferença da Rua Muniz Freire, na cidade, antes e depois da limpeza.

Mas ainda há muito o que fazer, pois o comércio de Iconha continua parado. Os irmãos Eliseu e Eliézio Marochio não têm previsão de quando vão abrir a mercearia deles. Entrou muita água e lama, e apesar de agora estar tudo limpo, o prejuízo foi grande.

“Por enquanto eu tô calculando mais de R$ 500 mil, mas eu acho que pode passar disso”, falou o comerciante Eliseu Marochio.

Pode aumentar porque dois freezers da mercearia serão enviados ainda para a observação de um técnico. “Seria mais um prejuízo, além dos que eu já tenho. Pode ser que eu perca esses dois freezers, que estão mais ou menos”, disse o comerciante.

A casa do Eliseu fica em uma parte mais alta da cidade, mas o irmão Eliézio, além da mercearia, também perdeu tudo dentro de casa. “Perdi tudo em geral. Só sobrou mesmo a minha residência, minha família, graças a Deus.

O psicológico da gente ficou um pouco abalado, claro. Hoje eu tô dependendo de doação”, contou.

O restaurante do comerciante José Antônio Marconsini também foi arrasado pelo temporal. Hoje, os utensílios estão limpos e o imóvel sendo reformado. Ele acredita que antes do carnaval vai conseguir abrir as portas.

“Eu queria pedir que os clientes, não só do meu estabelecimento, mas de todos os outros de Iconha também, que pudessem nos fazer uma visita quando estivermos abertos. Que pudessem vir gastar dinheiro com a gente, pra nos ajudar a reerguer a cidade”, pediu.

Leis

Foram sancionadas, nesta segunda-feira (27), as leis estaduais com as medidas de reestruturação da economia dos municípios e de apoio às famílias afetadas pelas chuvas na região Sul do Espírito Santo. Casagrande afirmou que as medidas começam a valer a partir desta terça-feira (28).

Entre as ações do Governo do Estado estão:

a reativação do Cartão Reconstrução ES, que vai garantir a doação de R$ 3 mil para famílias de baixa renda dos municípios afetados pelo desastre;

a criação do Fundo Reconstrução ES, garantindo o acesso facilitado ao crédito para pessoas físicas e jurídicas atingidas pelo desastre;

e a isenção de ICMS na compra de máquinas e equipamentos para quem teve prejuízos com as chuvas.

As medidas contemplam os moradores das cidades de Iconha, Alfredo Chaves, Rio Novo do Sul e Vargem Alta, que foram alvos das chuvas na última semana e já têm decretos da Estado de Calamidade Pública.

Contudo, todas as ações de reestruturação deverão ser estendidas aos demais municípios atingidos pelas chuvas no último final de semana.

Saiba mais sobre as iniciativas:

Cartão Reconstrução ES

A proposta permite doação em dinheiro às famílias com renda até três salários mínimos para a compra de móveis, eletrodomésticos e materiais de construção, desde que inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e comprovarem residência no município em que foi declarado o Estado de Calamidade Pública ou de Emergência, por ato de autoridade competente e homologado pelo governador. O quarto requisito para direito ao auxílio é de que o imóvel da família tenha sido diretamente atingido pelo desastre.

Fundo Reconstrução ES

O Fundo vai prover os recursos para garantir o acesso facilitado ao crédito, por meio de financiamentos para pessoas físicas, cooperativas de produção, microempreendedores individuais e de micro, pequenas e médias empresas localizadas nos municípios atingidos pelas chuvas.

Para ter direito ao financiamento será necessária a comprovação – via Defesa Civil, Corpo de Bombeiros ou órgão municipal – de que o estabelecimento foi direta e efetivamente atingido pelo desastre.

O Fundo será constituído de recursos municipais, estadual e federal; contribuições de entidades nacionais ou estrangeiras de cooperação, governamentais ou não; doações de pessoas físicas e jurídicas; retorno financeiro de financiamentos concedidos pelo próprio fundo; remuneração paga pelo agente financeiro (Bandes) sobre o uso da disponibilidade financeira do fundo; e outras receitas decorrentes de operações do mesmo.

Isenção de ICMS

A isenção do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) é válida nas compras de máquinas e equipamentos por pessoas físicas, microempreendedores, micro, pequena e média empresas e cooperativas atingidos pelas chuvas. Fica estabelecida como condição para a obtenção do benefício que o contribuinte comprove que sua atividade está em município abrangido por Estado de Emergência ou Calamidade Pública declarado pelas autoridades competentes como consequência das chuvas que aconteceram no Estado.

Fonte: g1