Familiares se despedem de professora morta ao cair de brinquedo em parque

O corpo da professora Miriam Oliveira, de 38 anos, que morreu ao cair de um brinquedo em parque de diversões em Itaipava, no balneário de Itapemirim, será sepultado nesta segunda-feira (03). O velório acontece no bairro Universal, em Viana, onde a vítima morava.

A filha dela de 8 anos ficou gravemente ferida e foi socorrida por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência ( Samu). Parentes contaram que a criança continua internada no Hospital Infantil de Cachoeiro de Itapemirim e reage bem ao tratamento.

Ainda segundo informações de familiares, a previsão é de que o corpo da professora seja sepultado no início da tarde desta segunda-feira (03), no cemitério Jardim da Paz, na Serra.

“Sem palavras.. .que notícia triste. Descanse em paz, Mirian. Que o Senhor conforte a todos neste momento tão difícil”, disse um conhecido, no perfil do Facebook da vítima.

Uma colega de trabalho e amiga disse à reportagem que a professora era “muito animada, encantadora, brincalhona”. “Ela produziu um repelente caseiro. Já fizeram até reportagem com ela. Nunca deixou que esquecêssemos umas das outras”, disse uma colega de trabalho e amiga”.

“A filha está apenas sedada e a tomografia mostrou avanço na recuperação”, disse a amiga.

Na rede social, a mensagem de destaque de Mírian é: “Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida”.

O acidente

A filha de Mirian ficou ferida após as duas caírem de um brinquedo em um parque de diversões, localizado em Itaipava, no balneário de Itapemirim. Mirian teve traumatismo craniano e morreu no local.

De acordo com informações do delegado de plantão Thiago Gomes Viana, a alavanca que controla a velocidade do brinquedo se soltou, o que ocasionou o acidente. O parque foi interditado.

Ainda segundo informações do delegado, o acidente aconteceu no início da noite de sábado (1), por volta das 20 horas. O brinquedo conhecido como “surf”, que faz rotação em 360º, teria começado a girar em alta velocidade, quando as duas vítimas foram arremessadas.

Testemunhas contaram para a polícia que a mãe teria caído primeiro, sendo atingida pelo próprio brinquedo. Logo depois, a criança também sofreu a queda, sendo jogada para o lado contrário da mulher. A menina foi levada com vida ao Hospital Infantil de Cachoeiro de Itapemirim.

O delegado plantonista disse que o marido da mulher, pai da criança, teria assistido ao acidente e ficou desesperado. O parque funcionava havia cerca de 30 dias na cidade. O dono do parque e um funcionário que operava o brinquedo no momento do acidente acabaram presos por homicídio culposo e lesão corporal.

Informações: Folha Vitória