Comércio estima prejuízo de 15 milhões com greve de motoristas

Um caos com prejuízo diário de pelo menos R$ 15 milhões. Essa é a análise que o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Espírito Santo (Fecomércio), José Lino Sepulcri, fez ao saber que rodoviários vão entrar em greve na próxima segunda-feira.

“Estamos chegando perto do Natal, com compras para presentes, ceia, amigo oculto. O mês de dezembro sempre foi o melhor mês de vendas em todos os anos, inclusive por causa do pagamento do décimo terceiro salário. E agora o otimismo voltou a reinar. Mas com a greve, teremos um prejuízo de R$ 15 milhões ou mais, já que estaremos em dezembro e a grande massa usa o transporte coletivo para comprar”, reclamou.

Sepulcri pede que os rodoviários se conscientizem. “O salário de todo mundo está defasado, mas tem de haver uma certa responsabilidade. É preciso uma conscientização por parte das lideranças do movimento grevista. Neste momento, estamos apelando para o bom senso deles”, pediu.

Fazendo um panorama do ano difícil para os comerciantes — que já sofreram prejuízos ao ficarem fechados com as fortes chuvas de novembro — o presidente da Fecomércio disse que uma greve neste momento em que há possibilidade de esperança para a economia “é constrangedor”.

“Todos estão com expectativa de melhorias, de novos tempos. Acho que as lideranças que compõem o Sindicato dos Rodoviários deveriam refletir sobre essa possibilidade de greve dos ônibus. Isso vai afetar a economia e a população capixaba”, voltou a pedir.

Informações: Tribunaonline