Combustível vendido no Espírito Santo apresenta pior qualidade do país em boletim da ANP

O combustível vendido no Espírito Santo apresenta a pior qualidade do país. A informação é da Agência Nacional do Petróleo (ANP), com base em um boletim de monitoramento da qualidade dos combustíveis. No mês de outubro, o estado ficou com 92,2% de percentual de manutenção de qualidade de combustível, o pior resultado do Brasil.

Das 21 grandes regiões pesquisadas, o Espírito Santo ficou em último lugar no ranking de qualidade do óleo diesel, com  88,2%. O segundo pior índice foi no estado do Amapá (90%), seguido de Alagoas (90,2) e Bahia (94,9).

O etanol vendido aos capixabas também está entre os piores do país. O índice de conformidade no mês de outubro foi de 91,2%, ficando atrás apenas do Paraná, que apresentou 86% no boletim. Ou seja, o penúltimo no ranking.

Entre os três combustíveis, a gasolina foi o que apresentou melhor resultado, com índice de 97,4% no mês de outubro. Com isso, a gasolina no Estado foi a 14ª no quesito qualidade no país.

Monitoramento
O Programa de Monitoramento da Qualidade de Combustíveis (PMQC) acompanha os indicadores gerais da qualidade dos combustíveis comercializados no Brasil com a finalidade de identificar a existência de produtos que não atendem às especificações técnicas determinadas pela ANP.

Dentre os principais objetivos está a identificação de focos de não conformidade, visando orientar e aperfeiçoar a atuação da área de fiscalização do abastecimento da Agência. Além de apoiar as ações de fiscalização da ANP, o PMQC também serve como gerador de subsídios para ações dos Ministérios Públicos, Procons e Secretarias de Fazenda que firmam convênios com a ANP.