Caos total: Falta de comando prejudica turismo de São Mateus

Mais de 200 mil turistas acorrem, todos os anos, a São Mateus para o período de veraneio, entre o final de dezembro e o Carnaval, mas este ano essa importante fonte de geração de recursos econômicos para o município e o Espírito Santo está ameaçada pela indefinição da Justiça Eleitoral sobre o comando político-administrativo do município.

A denúncia foi feita pelo deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) na última sessão do ano na Assembleia Legislativa. “São Mateus, um dos municípios mais importantes do Norte do Espírito Santo, está sem comando. Desde que houve as eleições, havia as ilações sobre abuso de poder econômico. Isso, finalmente, chegou à Justiça e o prefeito foi afastado em primeira instância, decisão confirmada em segunda instância, já com todos os recursos julgados. É preciso que a Justiça Eleitoral defina logo quem comanda São Mateus, porque quem deveria sair, não sai, e quem deveria entrar, não entra”, disse Enivaldo.

De acordo com o deputado, a consequência dessa indefinição sobre o afastamento do prefeito Daniel do Açaí (PSDB) é o abandono da população: “O município está acéfalo”. As chuvas transformaram Guriri numa piscina natural, sem providências da administração.

“No centro, um túnel em frente à agência da Caixa está inundado e ameaça a estruturas das casas próximas. As creches não sabem se vão funcionar, não há alimentação escolar, não há transporte escolar, o lixo e o mato tomam conta da cidade”.

Enivaldo fez um apelo ao Tribunal Regional Eleitoral para que defina o comando de São Mateus imediatamente: “Vai começar o recesso e ninguém sabe o que vai acontecer. E o pior é que, após o Natal, pelo menos 200 mil turistas chegam ao município para o período de veraneio e o caos se anuncia. É preciso que a Justiça afaste, imediatamente, quem tem de afastar e defina quem vai comandar o município até que se realizem novas eleições”.