Falsa enfermeira é flagrada de jaleco durante plantão atendendo paciente em hospital público no ES

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren-ES) identificou uma mulher de 30 anos que trabalhava como falsa enfermeira no Hospital Municipal de Castelo, no Sul do Espírito Santo. Aline Dalbó Monteverde, de 30 anos, atuava no hospital desde janeiro de 2024 e apresentou diplomas falsos de três instituições.

Aline foi abordada pelo diretor do Coren e um assessor enquanto estava trabalhando no plantão de uniforme e atendendo uma paciente no hospital na quarta-feira (15).

A “falsa enfermeira” publicava com frequência nas redes sociais momentos enquanto trabalhava em plantões e até mesmo marcava a prefeitura de Castelo nas publicações.

Nas postagens, as legendas comentam sobre trabalhar noite a dentro no plantão.

Ainda segundo o Coren, consta no nome da enfermeira que ela possui apenas formação técnica de enfermagem.

Ao chegaram ao hospital, os policiais e os representantes do conselho levaram Aline até uma sala e explicaram que ela estava sendo desligada das funções e o motivo.

A profissional foi encaminhada à delegacia por exercício ilegal da profissão. Ela assinou um termo circunstanciado de ocorrência se comprometendo a comparecer à sala de audiência do juizado especial criminal da comarca de Castelo no dia 11 de junho deste ano.

O que diz a prefeitura

 

A Prefeitura de Castelo informou que o caso está sob investigação interna. Disse ainda que a profissional era técnica de enfermagem e foi promovida há quatro meses como enfermeira com base nos documentos apresentados e o registro provisório oficial do Conselho de Enfermagem.

A mulher foi demitida e o município aguarda o posicionamento do Coren quanto à melhoria do sistema de controle dos seus profissionais para que sejam evitados novos casos.

Investigações

A Polícia Civil informou que a ocorrência foi encerrada pelos militares com o termo, não sendo entregue na delegacia.

A reportagem entrou em contato com Aline para pedir um posicionamento mas não teve nenhum retorno até a última atualização desta reportagem.

As instituições apresentadas nos diplomas falsos de Aline também foram procuradas pela reportagem, e ainda não deram nenhum retorno.