Quase 9 mil pessoas ainda estão fora de casa por causa das chuvas no ES; 49 cidades estão em alerta

37

Quase 9 mil pessoas ainda estão fora de casa no Espírito Santo em consequência das fortes chuvas que atingem o Estado desde o dia 17 de janeiro. A informação está no Boletim da Defesa Civil Estadual divulgado no início da noite deste domingo (26). O número vem aumentando de acordo com as apurações do Corpo de Bombeiros nas localidades afetadas.

Na atualização do boletim consta ainda que 18 municípios estão em alerta máximo para alagamentos e deslizamentos de terra. Quarenta e três estão em alerta moderado. No total, 49 estão com algum tipo de alerta vigente, o que representa 62% das cidades do Espírito Santo.

Desde que as chuvas começaram, nove pessoas morreram, incluindo duas crianças. Três vítimas que estavam desaparecidas em Castelo foram encontradas com vida neste domingo, segundo a Defesa Civil. No total, 5.668 pessoas estão desalojadas e 3.246 estão desabrigadas em todo o Estado.

Alegre é o município com mais pessoas desabrigadas, com 2.372 moradores que não têm condições de ficar em suas casas e também não têm para onde ir. Eles estão acomodados em abrigos na igreja da comunidade de Rive e no ginásio de Rive.

Isso aconteceu após o alerta de risco de rompimento de barragem Francisco Gros, mais conhecida como barragem São João, válido para as comunidades de Rive e Placa, que precisaram deixar suas casas. O volume de água é grande. O aviso ainda é mantido para este domingo.

O governo federal reconheceu o decreto de estado de calamidade pública para quatro municípios: Iconha, Alfredo Chaves, Vargem Alta e Rio Novo do Sul. Neste sábado, um mutirão de voluntários convocado pelo governo do estado esteve em Iconha para fazer a limpeza da cidade.

Das nove mortes registradas desde o dia 17, duas aconteceram neste sábado (25), quando duas crianças morreram soterradas, sendo uma em Conceição do Castelo e a outra em Iúna. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil informaram que ainda não têm mais detalhes sobre esses casos.

Há diversos pontos de interdição parcial e total em estradas e rodovias que cortam o Estado, o que dificulta a operação de resgate e a comunicação das equipes, em alguns casos.

Abastecimento interrompido

A Cesan precisou suspender o abastecimento de água nos municípios de Marechal Floriano, Domingos Martins e no distrito de Santa Isabel devido ao alagamento da estação de captação.

“Os técnicos da Cesan estão atuando para implantar uma captação de água alternativa para os municípios, mas ainda não há previsão para restabelecimento do sistema”, informou a Companhia.

Norte e Noroeste

Chove também nas cidades do Norte e Noroeste do Espírito Santo, mas o maior alerta para essas regiões é sobre o aumento dos níveis dos rio Guandu e Doce. A Defesa Civil Estadual já emitiu um alerta para a população.

Em Baixo Guandu, a situação é mais grave porque toda a água que desce do município de Afonso Cláudio deságua no Rio Guandu. A Defesa Civil Municipal até abriu as comportas da represa que fica no Centro da cidade para que a água escoe mais rápido.

As cidades às margens do Rio Doce também estão em alerta. Nesse caso, por causa das chuvas em Minas Gerais. O nível de água já tem subido e pode chegar à cota de inundação nos próximos dias.

Fonte: g1