Casal do ES morre de Covid-19 com diferença de seis horas

1664

A morte de um casal por Covid-19 no mesmo dia chocou amigos e familiares no Espírito Santo. Jaime Gaudio Júnior, de 61 anos, e Jaciara Moraes Gaudio, de 57, morreram em um intervalo de seis horas, em hospitais diferentes, na última terça-feira (17). Eles eram casados há 40 anos e moravam em Aracruz, no Norte do Estado.

A família acredita que o primeiro a se infectar foi Jaime, já que ele também foi o primeiro a manifestar sintomas da doença. Segundo parentes, o casal se sentiu mal há cerca de dez dias e teve a infecção pelo coronavírus confirmada.

“Começou com uma tosse simples, rotineira, e logo em seguida ele veio a ter febre. A minha mãe teve um quadro de pneumonia”, disse um dos filhos do casal, Thiago Moraes, que mora em Portugal.

Jaime, além de ter mais de 60 anos, tinha problemas de saúde e estava na fila do transplante de fígado. Já Jaciara era hipertensa, o que colocava os dois no grupo considerado de risco para a Covid-19.

“Meu pai era hipertenso, tinha cirrose, estava na fila de transplante de fígado. O caso dele era mais complicado, tem imunidade baixa. A minha mãe também era hipertensa”, apontou Thiago.

Como parte da história de perdas deixada pela pandemia, o casal é mais um número na estatística. Mas, para a família e os amigos, a morte de Jaime e Jaciara representa a ausência de pessoas queridas que partiram cedo demais.

“A lembrança, quando vier, vai ser boa. De mim, dos meus irmãos, de tantas pessoas que nos rodeiam, familiares. Isso abalou muito a gente. Uma perda muito complicada”, disse o filho Thiago. Por estar no exterior há dois anos, ele não conseguiu se despedir dos pais.

Estabilidade

Nesta quarta-feira (18), o governador Renato Casagrande se reuniu com entidades da sociedade civil, do governo, Assembleia Legislativa e Ministério Público para discutir a atual situação da pandemia no Estado.No fim do dia, em uma coletiva, Casagrande disse que o número de mortes parou de cair, o que é um alerta.

“Não tem crescimento de óbitos grande, mas qualquer pessoa que perde a vida nos preocupa bastante. Como estabilizou, paramos de cair nos óbitos, é um sinal de alerta”, disse Casagrande, que em seguida anunciou um aumento nas restrições para a próxima semana, após a divulgação do novo Mapa de Risco.

“Vamos ter uma menor restrição para os ambientes que têm controle e um pouco mais de restrição para ambientes que têm mais risco de não ter controle”.

Informações: G1