Aliança de Dorlei e Aluízio isola família Quinta em Presidente Kennedy

41
Sirlei (à direita) será homologado candidato a prefeito do PSD, tendo Aluízio como vice

Enquanto Reginaldo Quinta (DEM) insiste em dizer-se candidato mesmo com seus direitos políticos suspensos pela Justiça e com sentença em execução, o tiro de misericórdia vem do outro lado da política de Presidente Kennedy, no Sul do Estado: o atual prefeito em exercício Dorlei Fontão (PSD) e o ex-prefeito Aluizio Correa (PR) anunciaram que caminharão juntos, na mesma chapa, nas eleições de 15 de novembro.

O acordo, selado no último final de semana, prevê que a convenção desta quarta-feira (16), no Edificio Nicole, no centro da cidade, homologará o nome de Dorlei como candidato a prefeito e o de Aluízio como seu vice. A união dos dois candidatos, até então concorrentes ao mesmo cargo, na prática significa o isolamento da família Quinta na política de Kennedy. A coligação deverá ter, ainda, Podemos e Patriotas no mesmo palanque.

Dorlei era o vice-prefeito eleito em 2016 e assumiu a chefia do município em maio de 2019, quando a Justiça afastou da Prefeitura a titular Amanda Quinta por ser flagrada recebeu dinheiro de corrupção de uma empresa que atuava no serviço de recolhimento de lixo no município. Em 28 de julho deste ano, a Justiça prorrogou por 180 dias o afastamento de Amanda, o que implica em que ela não mais poderá voltar para encerrar seu segundo mandato.

Como não foi cassada, Amanda Quinta continua recebendo os vencimentos integrais como prefeita de Presidente Kennedy. Mesmo com toda essa celeuma, até hoje a Câmara de Vereadores sequer abriu procedimento de investigação dos atos da prefeita para seu eventual processo de impeachment.

VELHA AMIZADE

Dorlei Fontão disse que a união com Aluizio foi feita “em nome do progresso e do desenvolvimento de Presidente Kennedy”, para encerrar o ciclo policial da política do município, segundo garantiu.
“Não é hora de brigar, é hora de unir forças com o mesmo objetivo de servir ao povo da cidade. Somos amigos, estivemos juntos na eleição de 2000, quando Aluízio se elegeu prefeito e eu para vereador. Depois, em 2004, eu o apoiei novamente à Prefeitura e ele me apoiou à Câmara. Fui reeleito. Somente estivemos em palanques separados em 2012, quando fiquei com a Amanda, porque ele ficou conosco em 2016, quando vim para vice”, disse Dorlei.

O atual prefeito em exercício acrescentou que “o povo de Kennedy não merece mais perder, a cidade não merece mais as páginas policiais. Temos muito potencial de desenvolvimento e, além da política, essa aliança junta mais a família, que estava fragmentada em dois grupos”.

Amigos de longas datas, vizinhos de comunidade, Dorlei e Aluízio têm laços familiares entrelaçados. Fabrício, filho do prefeito, é casado com Janine, sobrinha da vereadora Tânia Correa Fontana, que é esposa de Aluízio. O marido de Priscila, que é filha de Aluízio, é irmão de nora de Dorlei. Ou seja, quando havia encontros de família, não se podia falar de política. Agora, vai poder.

Entusiasmado, Aluizio, que já foi prefeito duas vezes, disse que tem comentado em família que a eleição deste ano “não é nossa, é de Deus”. E acrescentou: “Presidente Kennedy não merece mais sofrer igual tem sofrido, chegou a hora da gente somar, e nós vamos formar uma nova família. Quero agradecer a recepção de vocês, eu vim para somar e ficar junto de Dorlei para lutarmos juntos pelo nosso querido município de Presidente Kennedy. Temos que deixar nossa vaidade de lado e olhar o povo de Kennedy que merece nosso respeito. Temos muito potencial para desenvolver, não é hora de brigar, é o momento de olhar o interesse de todos. E o nosso interesse é trabalhar para desenvolver a nossa cidade”.

Outra projeção contrária aos projetos da família Quinta: como está em exercício, Dorlei, se for eleito, não poderá se candidatar em 2024. Portanto, pela ordem natural das coisas, deverá apoiar a candidatura de Aluizio. Ou seja, é um projeto político que ainda vai durar muito.