Ação judicial contra diretoria do Guarapari Futebol Clube se arrasta há 11 anos

477

Os ex conselheiros do Guarapari Futebol Clube, Themistocles Sant’ Ana e Theodeberto Lopes Gonçalves (Sr. Betinho) lutam há 11 anos na justiça para que eles voltem a fazer parte do quadro de sócios da equipe.

De acordo com Neto, como é conhecido na cidade, a diretoria do Clube vem há anos cometendo uma série de irregularidades dentro e fora das quatro linhas e como ele não concordava, seu nome foi estranhamente excluído do quadro de sócios. “A partir do momento que começaram os questionamentos os diretores começaram a excluir pessoas que eram contra as decisões deles como, por exemplo, a prestação de contas do campo e dos aluguéis das lojas. A partir daí eu entrei na justiça” afirmou.

Outro questionamento apresentado por Neto é sobre a venda do estádio Davino Matos que se arrastou por vários anos.

O processo da venda gerou muitas controvérsias, inclusive entre os membros do Guarapari, já que não houve consulta antes das negociações, que culminaram com um negócio de R$ 20 milhões entre o clube e a uma construtora em 2012. Parte deste valor, foi pago na efetivação da transação, quando foi comprado um terreno para a construção da nova sede do clube, próximo ao bairro Jabaraí, pelo contorno da Rodovia do Sol. As obras no local estão paradas.

“Eu pretendo entrar novamente na justiça para que seja feito uma investigação para saber o que foi feito com esse dinheiro”, destacou Neto.

Sobre o futuro do clube, Neto garantiu que caso obtenha êxito na justiça ele tem projetos para reerguer a equipe. “Temos plenas condições de levantar o Guarapari Futebol Clube, mas por enquanto prefiro manter o sigilo, para que eles não nos atrapalhe” , finalizou.