Verão de Guarapari evidencia falta de compromisso com o Meio Ambiente

66

O verão no Espírito Santo é sempre sinônimo de praias lotadas de capixabas e turistas que apostam no litoral para aproveitar as altas temperaturas que são registradas durante a estação. Porém, o período também tem evidenciado um problema antigo e que, aparentemente, ainda encontra-se sem solução: a falta de cuidado com o descarte do lixo. Em Guarapari, mais precisamente na região da Enseada Azul, que compreende as praias de Bacutia, Peracanga e Guaibura, a situação é muito delicada, conforme denuncia a Associação de Moradores da Enseada Azul – Ameazul.

“As nossas restingas se tornaram verdadeiros depósitos de lixo. Diversos registros foram feitos por moradores e representantes da Ameazul para mostrar a situação a qual se encontra a região, com total falta de respeito ao meio ambiente por parte dos banhistas e vendedores ambulantes que se instalam aos montes durante todo o verão. A área, que deveria ser de preservação, se tornou um verdadeiro ‘lixão’ com cadeiras de plástico, caixas de isopor, mesas, restos de cocos e outros artigos que foram encontrados”, conta a presidente da Ameazul, Nanci Monteiro Lobato Lemos.

A presença destes itens alerta para a necessidade de preservação da área de restinga, que é de extrema importância para impedir a erosão das praias, um problema registrado em todo o Espírito Santo. O ecossistema também possui papel relevante para a preservação de espécies ameaçadas de extinção, além de contar com plantas que são utilizadas para alimentação e medicina.

“Vale também ressaltar que o depósito desses itens nas nossas áreas de restinga abrem espaço para a criação de focos do mosquito Aedes Aegypti, responsável pela transmissão de diversas doenças que infectam milhares de brasileiros todos os anos. Precisamos cuidar das nossas praias para que o turismo do Espírito Santo também seja valorizado. Como vamos apresentar uma cidade-saúde que não está preocupada com o lixo espalhado nas nossas vegetações, transmitindo doenças?”, reforça Nanci.

De acordo com os representantes da Ameazul, a Prefeitura Municipal de Guarapari, a Secretaria de Meio Ambiente e o Centro de Zoonoses da cidade foram notificados sobre o problema. “Falta fiscalização, nossas praias são umas das mais bonitas e disputadas do Brasil, porém a falta de cuidado da população tem trazido prejuízos incalculáveis para nossas belezas naturais”, completa Nanci Monteiro Lobato Lemos.

Por: Fernando Correia
Mile4 Assessoria de Comunicação