MPF quer balanças funcionando 24 horas nas estradas do ES

13

O Ministério Público Federal (MPF) quer, com urgência, que as balanças na BR-101 funcionem durante 24 horas no Espírito Santo. Mas nem todos os postos de pesagem estão funcionando e nenhum deles sem parar.

Na balança que fica na BR-101 em Rio Novo do Sul, sentido Vitória, por exemplo, nenhum fiscal foi visto por volta das 7h desta quinta-feira (15).

De acordo com o caminhoneiro Rodolfo Nascimento, esta é uma realidade constante. “Poucas vezes que passei ali estava funcionando. Geralmente está fechado. Passa na primeira balança mas, na segunda, sempre está fechado”, detalhou. Ao todo, são quatro balanças na rodovia que corta o Espírito Santo.

Tales Machado, presidente do Sindirochas, relata que o sindicato enxerga que a única forma de isso acontecer é aumentar a fiscalização. “Aí vamos provar que tem muita gente de qualidade no setor, trazendo resultado para o transporte do setor de rochas”, argumentou.

Reclamações

Para o caminhoneiro Renato Marinato, colegas que viajam com o veículo com excesso de peso são irresponsáveis.

“Se a pessoa viaja com caminhão com excesso de peso, não tem segurança. Por mais cauteloso que o motorista seja, na hora de parar tem gente viajando com o equivalente a duas cargas, até 35 toneladas em um caminhão truck. Isso não existe. O veículo foi feito para transportar até 15 toneladas. Se ele tem duas cargas em cima, não tem como frear”, detalhou Marinato.

Servidor público, Ítalo Tadeu fala sobre conscientização no trânsito. “É muito perigoso mas, enquanto não houver conscientização de donos de carretas e motoristas de que isso não pode acontecer, vai continuar acontecendo. A fiscalização, onde é para funcionar, está fechada”, disse.

Outro lado

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) argumentou dizendo que, mesmo que não tenha ninguém no posto de pesagem, isso não impede a fiscalização, porque ela também é feita por sistema de vídeomonitoramento.

O órgão disse, ainda, que foi notificada pela ação do Ministério Público Federal e que já se manifestou na Justiça.

A ANTT concluiu relatando que a Polícia Rodoviária Federal tem competência legal para fiscalização de peso, e que os postos estão disponíveis para que façam as operações de pesagens.

Fonte: g1