Após ameaças de ataque, polícia reforça segurança na Ufes e campus de Goiabeiras amanhece vazio

27

Após mensagens de um suposto ataque à Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) se espalharem pelas redes sociais na terça-feira (18), o clima na manhã desta quarta-feira (19), no Campus de Goiabeiras, ainda era de medo e tensão. Com salas de aulas vazias, professores aguardavam os estudantes, que até as 07h30, ainda não haviam aparecido.

Nesta manhã (19), mulheres que fazem a limpeza da instituição, contaram que optaram por não entrar no local antes de terem certeza de que não corriam risco de algo grave acontecer.

“Tivemos medo de entrar na universidade, por isso optamos ficar do lado de fora até que a sensação seja de segurança. Mesmo com muito medo, nós precisamos trabalhar. Temos que cumprir com o nosso dever”, desabafou uma auxiliar de serviços gerais.

Uma das poucas alunas que decidiu comparecer, chegou cedo e contou que ficou assutada ao perceber que as salas de aulas estavam vazias. “Por ser semana de provas eu acreditei que hoje seria um dia normal. Os professores vieram, porém, as salas de aulas estão sem ninguém”, contou.

Em nota, a administração da Ufes garantiu que as atividades acadêmicas e administrativas estão mantidas nesta quarta-feira (19). Além disso, reforçou que os Restaurantes Universitários vão funcionar normalmente e a Biblioteca Central estará aberta durante todo período de aulas.

Veja a nota da Ufes na íntegra

Nota da Administração Central da Ufes sobre ameaça divulgada nas redes sociais

A Administração Central da Ufes informa que tomou ciência de uma mensagem divulgada nas redes sociais com informações sobre um possível ataque armado que estaria sendo planejado para esta quarta-feira, 19, no campus de Goiabeiras.

Segundo a mensagem, seriam alvo deste ataque “esquerdistas, feministas, viados e negros”. A divulgação do atentado surgiu em um grupo da deep web (parte da internet não acessível pelos mecanismos de busca e oculta do grande público) e prints da mensagem circularam nas redes sociais.

A Administração Central da Ufes, ao tomar conhecimento da mensagem, acionou imediatamente a Superintendência da Polícia Federal no Espírito Santo, o Núcleo da Polícia Militar na Ufes e a Gerência de Segurança e Logística da Universidade, que já estão adotando todas as providências cabíveis.

A Administração Central da Ufes reforça que as autoridades policiais também estão atuando para apurar o caso e agir de forma preventiva.

O clima de medo se espalhou entre os estudantes da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) em Goiabeiras, Vitória, depois que mensagens de ameaças circularam pelas redes sociais na terça-feira (18). Alguns alunos afirmaram que as aulas foram suspensas e alguns setores acabaram evacuados.

Contudo, o Núcleo de Segurança da Ufes informou que o policiamento foi reforçado com a presença da Polícia Militar e com o Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção ( Nuroc), que pertence a Polícia Civil.

Na manhã desta quarta-feira(19) era possível perceber a presença reforçada de policias e da Guarda Municipal de Vitória pelo local.

O ocorrido
Uma ameaça de suposto ataque no campus da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) em Goiabeiras, Vitória, está sendo compartilhada, desde a terça-feira (18), por meio de aplicativos de mensagens para celulares.

As informações que circulam nos aplicativos de bate-papo são de que a mensagem teria sido postada no mesmo grupo onde foi organizado o ataque na escola de Suzano (SP), em março deste ano. A página em questão é o fórum Dogolachan, que só é acessado via deep web.

“Alunos da Ufes campus de Goiabeiras, recebam o aviso por meio do fórum Dogolochan, dia 19/06/2019 (quarta-feira da semana vigente) irei matar o máximo de esquerdistas, feministas, viados e negros que encontrar pela minha frente. Peço aos cidadãos de bem que, a fim de saírem ilesos do meu ‘sanctum julgamentu’ (sic) não frequentem o ambiente nesse dia”, diz a mensagem.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) informou, por meio de nota, que já tomou conhecimento das postagens e encaminhou todo o material à Polícia Federal, autoridade que tem atribuição de investigação de fatos ligados à Ufes. Ainda segundo a Sesp, a Polícia Civil se colocou à disposição para auxiliar nas apurações.

Em outra postagem, a pessoa que faz a suposta ameaça diz que conseguiu uma “arma 38” e um facão e que estará com um dado no bolso superior esquerdo da calça quando for encontrado morto após o suposto ataque.

Informações: Folha Vitória