Golpistas clonam contas de app de mensagens para pedir dinheiro a contatos de vítimas no ES

23

Um golpe tem dado dor de cabeças aos usuários do aplicativo de mensagens WhatsApp. Nele, criminosos invadem contas pessoais e passam a pedir dinheiro para amigos e parentes delas. A Polícia Civil informou que pelo menos cinco vítimas são enganadas por dia no Espírito Santo.

A polícia pontuou que os golpistas agem de diversas formas, mas uma delas é tendo acesso ao número do telefone e aos dados pessoais que estão disponíveis na internet. E, após clonar o aparelho, eles começam a pedir valores em dinheiro para conhecidos das vítimas.

O vendedor Gerlis Flávio de Lima contou que anunciou um carro em um site especializado em compra e venda de produtos e teve informações pessoais vazadas.

Em um momento de descuido, acreditando que estava passando o código de acesso do WhatsApp dele para a empresa, Gerlis acabou caindo no golpe e teve o aplicativo invadido.

“Eu recebi uma mensagem de texto dizendo ser a verificação do próprio anúncio. Em um momento de descuido, não analisei certinho e acabei passando o código de verificação. Em questão de cinco a sete minutos aconteceu. Eu tenho contas dele, foi mais de uma conta que ele solicitou, tenho CPF de uma dessas pessoas. No meu entendimento não seria algo impossível chegar até a uma dessas pessoas”, disse Gerlis.

Delegado faz alerta

De acordo com o delegado Breno Andrade, da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, em caso de pedidos de empréstimo, as vítimas precisam ficar atentas antes de transferir dinheiro para contas de terceiros.

“Desconfie sempre. Geralmente essas grandes empresas não entram em contato com os anunciantes por aplicativo, então, se tiver alguma dúvida, procure os canais oficiais dessas empresas na internet”, alertou.

Segundo o delegado, além do aplicativo de mensagens, também há casos de linhas telefônicas roubadas. Breno Andrade aponta que funcionários de lojas de operadoras de celular habilitam as linhas em outros chips para conseguir informações sobre os donos das contas.

“A gente tem também casos em que o chip é desabilitado na linha da vítima e habilitado na linha do criminoso. Nesse caso a vítima perde totalmente o acesso a seu aparelho. Em alguns casos há participação de funcionários que participam da quadrilha para a prática do golpe.”

Com isso, o criminoso toma posse não somente da linha telefônica, mas das redes sociais e dos aplicativos de mensagens da vítima.

Dica de segurança

O delegado Breno Andrade ressaltou que o Whatsapp tem sistema de segurança, com verificação em duas etapas, para impedir o acesso de terceiros. Siga o passo a passo:

  • Abra o aplicativo e vá até a aba “Configurações” (no Android) ou “Ajuste” (iOS);
  • Escolha o item “Conta”;
  • Selecione “Verificação em duas etapas”;
  • Clique em “Ativar”.

“A partir do momento que a vítima envia esse código para esse criminoso, o Whatsapp dela é habilitado em outro celular e ela perde o acesso. O criminoso, então, começa a se passar por ela e passa a exigir uma quantia financeira inventando qualquer desculpa”, concluiu o delegado.

Informações: G1/ES