Manifestantes fecham portões do Complexo de Tubarão

49

Um grupo de trabalhadores fechou, no início da manhã desta segunda-feira (11), os portões que dão acesso ao Complexo de Tubarão por Carapina, na Serra, região metropolitana de Vitória. O trânsito da avenida Norte Sul, que passa no local, segue com retenções.

A manifestação, de acordo com o representante dos trabalhadores da Usiminas, Luiz Antônio, foi feita depois de várias tentativas de diálogo com a siderúrgica sobre a condição de trabalho dos funcionários. Os trabalhadores afirmam estar sem reajuste há 10 anos.

Com o portão do Complexo de Tubarão fechado, mais de 10 mil pessoas que trabalham em empresas do local estão fora de seus postos de trabalho.

“São uma série de reivindicações que não estão sendo atendidas pela empresa. Não temos reajuste há 10 anos. A Usiminas está trazendo mão-de-obra de fora do estado e não está respeitando a lei de mão de que 70% dos trabalhadores deve ser locais. Desde sexta retrasada, estamos sofrendo com corte de trabalhadores da construção civil porque eles alegaram que a obra já tinha chegado na metade”, explica.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintraconst-ES), existe uma tentativa da empresa de passar esses trabalhadores para o sindicato metalúrgico, o que reduziria o salário e os benefícios pela metade.

A Usiminas foi procurada sobre a reivindicação dos trabalhadores, mas até a publicação desta reportagem, não respondeu os questionamentos.

Trânsito

Os trabalhadores chegaram a interditar todas as faixas da avenida Norte Sul, em Carapina, na Serra, no início da manhã. Mas após negociação com a Polícia Militar, os manifestantes liberaram uma faixa.

Informações: G1/ES