‘Ela está apavorada e a situação é pior do que imaginávamos’, diz advogado de Jane Cherobin

184

O advogado de Jane Cherubim da Silva, de 36 anos, brutalmente espancada e largada às margens de uma rodovia, na madrugada da última segunda-feira (4), em Dores do Rio Preto, falou sobre o quadro de saúde da vítima e o medo que a mulher sente, em pensar na possibilidade do namorado Jonas Guimarães do Amaral Neto, apontado como principal suspeito, aparecer no hospital.

De acordo com advogado Bruno Gaspar, Jane apresenta melhoras e acordou depois de ficar três dias sedada em um hospital de Carangola, no interior de Minas Gerais. Segundo ele, a situação pode ser ainda pior do que se esperava. “Os familiares me disseram que Jane está apavorada. Que ela acordou muito assustada e teme o tempo todo. Ela tem medo que o namorado apareça no hospital e tente algo contra ela”, explicou o advogado.

Por conta disso, o advogado da vítima, a pedido de familiares, está preparando uma medida protetiva para manter a segurança da cliente. “Além da medida de proteção que está sendo preparada para ela, quero tentar colocar um policial de vigília no hospital”, afirmou.

Segundo o advogado, Jane está fraca e quase não tem condições de prestar depoimentos ao delegado. “Eu vou acompanhar o relato dela, mas de acordo com o irmão da vítima, a situação é muito pior do que imaginávamos”, disse.

Entenda o caso:

O caso aconteceu em uma comunidade conhecida como Forquilha do Rio, que fica entre Dores do Rio Preto e o município de Espera Feliz, em Minas Gerais. Ela e o namorado estavam em um bar quando foram embora discutindo. Segundo a família da vítima, Jane foi estuprada, espancada e largada às margens de uma rodovia.

A mulher foi localizada por dois irmãos. Eles contaram que, quando encontraram a irmã, pensaram que ela estava morta. Jane foi socorrida e levada para um hospital de Carangola, em Minas Gerais. Apesar da gravidade, ela não teve traumatismo craniano e não precisou ser encaminhada para o CTI.

A Delegacia de Polícia de Dores do Rio Preto informou que o suspeito ainda não foi preso.

Informações: Folha Vitória