Enivaldo conquista barragem para Barra de São Francisco

490

O impacto é sobre todo o meio-ambiente, porque a água que se acumula na superfície vai penetrar o solo, abastecer o lençol freático e alimentar as nascentes. Por isso, o deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) comemora o anúncio da licitação da barragem do Córrego Itaúnas, em Barra de São Francisco, como um presente à natureza em pleno Dia da Árvore.

“A obra beneficia muito mais do que o nosso município, mas certamente vem em boa hora e garantir mais um reforço para os tempos de estiagem. Tivemos que aprender com a última estiagem que castigou, principalmente, as regiões Norte e Noroeste do Estado. Cada represa dessas que conquistamos é um passo no sentido de contribuir para o enfrentamento das crises hídricas que ocorrem cada vez em intervalos menores”, disse Enivaldo dos Anjos.
A nova barragem, anunciada em licitação da Secretaria de Estado da Agricultura, será construída no Córrego Itaúnas, com uma área inundada de 5 hectares (o correspondente a cinco campos de futebol). Será uma barragem feita com terra, com um volume de 92 mil metros cúbicos de água (92 milhões de litros) e custará investimentos de R$ 1,3 milhão ao Governo do Estado.
Quando estourou a crise hídrica, o deputado estadual Enivaldo dos Anjos defendeu, do plenário da Assembleia Legislativa, a criação de um programa estadual de enfrentamento à estiagem e fez várias indicações ao governador Paulo Hartung para construção de barragens nos municípios.
Graças ao prestígio político, a sua região de influência recebeu oito barragens. A de Água Limpa, em Jaguaré, foi entregue em abril deste ano, consumindo R$ 1,588 milhão, com alagamento de 20 hectares e uma reserva de 433 milhões de litros de água.
Estão em andamento desde abril as represas de Caximbau, em Jaguaré (investimento: R$ 1,492 milhão, 18 hectares de área inundada e 282 milhões de litros), Rio Novo em Alto Rio Novo (R$ 885 mil, 3,29 hectares de área e 106 milhões de litros de água) e Rio Dois de Setembro em Ecoporanga (R$ 667 mil, 2 hectares e 48 milhões de litros de água).
Licitadas estão as de Córrego Itaúnas, em Barra de São Francisco, e a de Córrego Socorro, em Vila Pavão (R$ 667 mil, com 4,6 hectares de área inundada e reservatório de 67 milhões de litros).
Foi Enivaldo também, que a pedido da Secretaria de Agricultura, mobilizou lideranças políticas de todo o Estado para a solenidade de assinatura dos atos do Programa Estadual de Construção de Barragens, em dezembro de 2016.
Em janeiro de 2017, o governo anunciou o investimento de mais de R$ 90 milhões para implantar 78 barragens no interior do Estado até o final de 2018, além da retomada das obras da maior barragem do Espírito Santo, em Pinheiros e em Boa Esperança, inaugurada em abril deste ano, da implantação da barragem do Rio Jucu e da construção de outras seis barragens de médio porte por um convênio entre a Seag e a Cesan, órgãos que gerenciam o programa.
Dos 60 reservatórios, 34 serão de usos múltiplos de médio porte no interior do Estado e outras 26 barragens de uso coletivo em assentamentos de trabalhadores rurais capixabas no Norte do Espírito Santo. Estima-se que com a implantação das 60 barragens sejam armazenados 67,2 bilhões de litros de água: o suficiente para abastecer 1,2 milhão de pessoas durante um ano, ou irrigar 22 mil hectares de café.
Para a definição dos locais onde ficarão as 34 barragens, foram levados em consideração os seguintes fatores: existência de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) firmados; locais que possibilitavam a construção de barragens médias e com uma maior relação volume/lâmina; locais que não necessitavam de desapropriação (áreas doadas); maior número de usuários beneficiados.
Foram contemplados com 34 barragens os seguintes municípios: Baixo Guandu, Colatina, Itarana, Jaguaré, Laranja da Terra, Linhares, Marilândia, Montanha, Pancas, Pinheiros, Santa Teresa, São Roque do Canaã e Sooretama.

COMPARTILHAR