Deputado pede apuração de lavagem de dinheiro em São Mateus

783

Quase R$ 1 milhão estariam sendo “lavados” em São Mateus através de um contrato com uma empresa de eventos de Sooretama, criada em 2015, segundo denúncias que chegaram ao conhecimento do deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD), na Assembleia Legislativa.

Por conta disso, o parlamentar oficiou ao Ministério Público Estadual para que determine a investigação relativa à contratação da empresa Estrela Shows e Eventos, com sede em Sooretama, pertencente a Yosho Santos e que tem como atividade econômica aluguel de palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário, exceto andaimes.

“É mais um escândalo da administração do prefeito Daniel Santana (PSDB). Eu falei há poucos dias que haveria um contrato milionário na administração e ele está aí, publicado no Diário Oficial”, disse Enivaldo, mostrando a publicação do contrato 066/2018 no valor global de R$ 860.754,00 por 12 meses, na edição desta segunda-feira (21 de maio de 2018).

De acordo com o deputado, “todo mundo sabe a quem pertence de fato essa empresa Estrela. É dinheiro público indo para o ralo. É só calcular quanto essa empresa já embolsou desde o início do mandato até aqui. São R$ 3 milhões durante esse período”.

Ainda segundo o deputado foi informado, a empresa tem apenas um galpão em Sooretama, onde não fica ninguém para atender. Ao lado dela, outra empresa com as mesmas características, com atuação em Sooretama e Linhares.

O parlamentar ainda lembrou que o prefeito Daniel da Açaí tem alegado falta de recursos para dar reajuste salarial aos servidores. “Mas para desviar, tem. Eu fico pensando até quando o Ministério Público e a Justiça vão esperar para afastar esse irresponsável”, disse Enivaldo dos Anjos.

O prefeito de São Mateus já é alvo de uma CPI da Câmara dos Vereadores para apurar outras irregularidades na administração e está mantido no carto por uma liminar do desembargador Annibal de Rezende, depois de ter confirmada pelo Tribunal Regional Eleitoral a cassação de seu mandato procedida pela Justiça Eleitoral do município.

O Ministério Público Federal Eleitoral já relatou, no recurso de Daniel ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), pela derrubada da liminar e o consequente afastamento imediato do prefeito do cargo, juntamente com o seu vice, e realização de novas eleições municipais. O processo está com a ministra Rosa Weber, relatora, para proferir seu voto.

COMPARTILHAR