Três bairros em Barra de São Francisco figuram na lista da polícia como possível ponto de tráfico

3179
Yago em destaque

Durante a prisão de Yago Jandre Garcia, no bairro Colina em Barra de São Francisco, na última quinta feira, 22/02/2018, policiais da Força Tática do 11º BPM, encontraram em poder do suposto acusado, identidades de indivíduos, que, segundo os policiais, não são oriundos de Barra de São Francisco.

Os nomes citados no Boletim de Ocorrência Policial (B.O), são, Alex Barbosa da Silva e Daniel Venceslau da Silva. Conforme B.O, é de conhecimento no meio policial que, alguns indivíduos de Barra de São Francisco estão em atrito por motivo de disputa por pontos de tráfico de drogas.

Narra ainda o B.O, que, nos últimos meses, homicídios e tentativas de homicídios têm ocorrido entre grupos dos bairros Cruzeiro, Estrela e Colina têm. Consta ainda do B.O, que tem sido constantes citados como autores dos fatos delituosos narrados, além de Yago, os cidadãos P.A.M.C, inclusive preso recentemente com arma de fogo e N.T.G.

Entenda o caso:

A semana começou com a população do bairro Colina assustada, em Barra de São Francisco, com as pichações que apareceram nos muros com suposta “demarcação de território” por bandidos. A resposta das autoridades foi rápida.

Ao anunciarem que o autor da “façanha” não iria longe, policiais civis e militares declaram “guerra” à bandidagem. O comandante do 11º BPM, tenente Coronel Luciano Suave, determinou que o policiamento fosse reforçado no local e um policial chegou a posar armado ao lado do muro.

Nas redes sociais, o militar Mardehon Ferreira mandou um recado para os pichadores. “Estão querendo colocar terror na sociedade?. Logo vocês que tremem quando a polícia passa!!!!!!!!!!!!“, comentou o policial.

E a casa do valentão não demorou a cair. Nesta quinta-feira (22), a Polícia apresentou o homem que fez as pichações: Yago Jandre Garcia, o Yago, andava pelo bairro com arma na cintura, conforme Boletim de Ocorrência Policial (B.O), foi preso sem chance de reação. Ele foi identificado pelo serviço reservado da PM.

Ao perceber que os policiais da Força Tática do 11º BPM estavam se aproximando da casa onde ele mora, Yago, de forma rápida adentrou dentro de residência e levando com ele algo na mão, que os policiais notaram logo se tratar de uma arma de fogo e deram voz de prisão.

Yago tentou fugir em uma motocicleta, mas acabou sendo alcançado pelos policiais. No momento da abordagem, nada de ilícito foi encontrado; ao ser questionado sobre a arma que ele portava ao entrar em sua casa, ele negou o fato.

Uma mulher que estava na casa disse que não havia arma nenhuma, mas os policiais deram buscas e encontraram a arma dentro do guarda roupas no quarto do casal. Além da arma, os policiais encontraram ainda dois carregadores com 15 munições intactas cada, totalizando 45 munições.

Yago não tem autorização para porte legal da arma e das munições encontrada em sua casa.

No momento em que recebeu ordem de prisão, Yago estava mancando de uma perna. Na tentativa de se livrar da prisão, Yago ainda tentou fugir dos policiais, saindo em disparada pelo bairro, mas, diante das lesões, não aguentou ir longe e foi novamente capturado pelos policiais ao tropeçar em suas próprias pernas e levado para o Hospital Alceu Melgaço Filho para ser examinado.

Tudo começou quando a equipe de Serviço da Forca Tática do 11º BPM de Barra de São Francisco, fazia preventivo no bairro Colina e naquele momento observou um indivíduo armado e transitando pela rua próximo à sua residência.

A arma apreendida era uma pistola e, de acordo com informações dos policiais, Yago esteve envolvido nas últimas ocorrências de disparo de arma de fogo, homicídio e tentativa de homicídio no município de Barra de São Francisco.

A arma é de fabricação Turca, inclusive, 9 milímetros, uso restrito das Forças Armadas, sendo que Yago foi uma das pessoas que picharam o muro da Cesan no bairro Colina e que haviam comentado que nas ocorrências policiais em que estivesse envolvido iria efetuar disparos contra os policiais.

 

COMPARTILHAR