Moradora de Linhares reencontra família após 50 anos sem contato

284

Dona Laurides, de azul, junto das irmãs Laurinda (à esquerda) e Dagmar (à direita)

Cinquenta anos. Meio século. Uma vida. Esse foi o tempo que dona Laurides Cândido da Silva levou para reencontrar a família que ela deixou em Conselheiro Pena, Minas Gerais, quando tinha apenas 16 anos.

Laurides, que hoje mora em Linhares com o marido e os quatro filhos, deixou a cidade mineira rumo a Vitória na década de 60 para trabalhar de doméstica na capital capixaba. Aqui ela se casou, mudou para São Paulo e mais tarde retornou para o Espírito Santo, onde vive desde então em solo linharense.

Por falta de recursos financeiros ela nunca retornou onde a família residia. E quando tentou procurar notícias dos parentes, acabou acreditando que eles não moravam lá mais.

“Eu saí de casa cedo para trabalhar. Naquela época não tinha telefone, internet, e eu acabei perdendo o contato. Não tinha dinheiro para voltar. Quando procurei, disseram-me que minha família não estava mais lá e eu achei que nunca mais ia conseguir contato de novo, mas minha nora me ajudou e a gente se reencontrou agora”, disse.

Ainda emocionada quando fala do assunto, dona Laurides relembra o reencontro com muito afeto. Ela encontrou com algumas irmãs, mas a parte mais tocante foi perceber que o pai, de 98 anos, a reconheceu depois deste tempo todo sem a ver.

“Foi algo muito bonito e muito emocionante. Eu pensava que eles já tinham morrido. Abracei todo mundo, chorei. O mais emocionante foi quando vi meu pai e ele me chamou pelo nome. Ele tem 98 anos, achei que não se lembrava mais de mim. Aliás, eu achava que assim como minha mãe, ele já tinha morrido. A cabeça dele está boa, ele lembrou. Choramos e nos abraçamos muito”, lembra.

A nora de dona Laurides, a professora Sabrina Pereira, foi quem ajudou a promover o reencontro. Por meio das redes sociais, ela conseguiu informações até chegar a uma irmã de Laurides. A veracidade das informações foi confirmada pelo membro de uma ONG, Carlos Rodrigues, e o encontro marcado.

“Comecei a procurar no Facebook o nome de todos irmãos dela. Quando fui direcionada a uma reportagem que falava de dona Laurinda, uma irmã da minha sogra, que procurava a filha dela que estava em Portugal. A partir dali a gente foi encaixando as coisas e conseguimos o contato. Marcamos e o encontro e no dia 03 de janeiro, fomos a Barra do Cuieté, distrito de Conselheiro Pena -MG, e conseguimos, enfim, promover o reencontro. Foi lindo e muito emocionante.”

Dona Laurides já está em Linhares novamente, mas garantiu que daqui para frente, se depender dela, a família que está em Minas vai cansar de vê-la, já que ela pretende fazer visitas com muito mais frequência.

“Quando eu estava vindo embora, meu pai me disse: ‘Não vai, minha filha’. E eu pretendo voltar sempre lá. Não quero mais passar tanto tempo sem ver minha família. Agora que sei que eles estão lá, vou voltar bastante”, conclui.

Fonte: gazetaonline

 

COMPARTILHAR