São Mateus: presidente da Câmara só assume prefeitura com presença do TCE

2881
Presidente da Câmara de São Mateus, vereador Carlos Alberto

O presidente da Câmara de São Mateus, vereador Carlos Alberto Gomes (PSB), afirmou que não assumirá a prefeitura da cidade sem o acompanhamento de auditores do Tribunal de Contas do Estado. Substituto natural do prefeito Daniel da Açaí (PSDB), que teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES), Carlos Alberto já propôs uma intervenção da Corte de Contas na atual gestão da cidade e diz querer “apenas se precaver” de um processo futuro contra ele.

“Vou colocar essa condição. Eu só assumo a prefeitura se o Tribunal de Contas assumir junto. Senão, depois quem vai pagar o preço sou eu”, disparou o chefe do legislativo municipal, que pretende levar ao Tribunal de Contas um pedido de auditoria no município ainda esta semana. “Queremos uma auditoria em caráter emergencial para o município”, completou.

Diante das sucessivas denúncias de má versação do dinheiro público pelo prefeito Daniel da Açaí e sua equipe de governo, o líder da Câmara de Vereadores definiu como sendo “um assalto à gestão pública” o governo de Daniel.

“Tem uma quadrilha dilapidando o município pela porta da frente. Se eles provarem que estou falando mentira, que recorram à Justiça e me processem”, disparou.

Conselho Tutelar

Durante a sessão da última terça-feira na Câmara de Vereadores de São Mateus, uma servidora do Conselho Tutelar da cidade, Tatiana Souza, denunciou o descaso da Secretaria de Assistência Social da cidade com o órgão, que passa dificuldades para a compra de itens básicos como lâmpadas e papel higiênico.

“Estamos trabalhando há mais de um mês sem lâmpadas em nossas salas. Precisamos sempre comprar do nosso bolso materiais como lâmpadas, a água e até o papel higiênico para nossos assistidos usarem”, disse a assistente social, que relatou já ter passado momentos de vergonha durante o seu trabalho junto a pessoas assistidas pelo conselho tutelar.

“Já aconteceu de irmos a um local com uma família assistida e, na hora de abastecer, o nosso convênio com o posto estar suspenso”, comentou.