Enivaldo dos Anjos: “O Brasil considera o aposentado um problema”

621
Enivaldo dos Anjos: “O Brasil considera o aposentado um problema”

O deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) criticou, da tribuna da Assembleia Legislativa, na tarde desta terça-feira (7), o senso comum, criado pelos meios de comunicação, contra a pessoa aposentada no Brasil e disse que o País perde uma grande oportunidade de aproveitar a contribuição da experiência das pessoas.

“É como se somente servíssemos enquanto temos a máxima força de trabalho”, observou. “Tenho defendido a ideia de que a pessoa aposentada, quando exercer outra atividade, mesmo pública, tem o direito de ser remunerada por isso. Tentam vender a ideia de que o aposentado da área pública é pago pelo Governo, mas Previdência é dinheiro seu e do seu patrão, depositado em uma conta que vai te remunerar quando você completa o tempo de serviço. Não é o Estado que paga os seus aposentados, é o fundo formado pela contribuição feita ao longo de toda a vida”, salientou o deputado.

O parlamentar enfatizou, ainda, que o Brasil “não dedica nenhuma atenção, nenhuma legislação especial para os aposentados. Quando você completa o tempo de aposentadoria no Brasil, é considerado como um problema e não como uma pessoa que adquiriu experiência e que poderia continuar contribuindo com as atividades do país e isso é ruim.

O aposentado não pode ir à praça por causa do crime, não pode sair à noite por causa da violência, e não pode trabalhar porque pode não receber por isso”. Enivaldo dos Anjos rechaçou as tentativas de manchar sua imagem pública por conta da consulta que foi feita ao Tribunal de Contas do Estado sobre seu direito de receber os vencimentos de deputado, mesmo sendo aposentado como conselheiro da Corte, uma vez que contribuiu durante a vida inteira com a Previdência oficial como servidor público (originalmente, foi servidor do Poder Judiciário).

“De uma coisa as pessoas podem ter certeza: ninguém vai poder e ter motivo nunca para poder me chamar de corrupto e safado. Isso eu bato no peito e com orgulho. Agora, me chamar de mole e que eu não posso enfrentar um assunto porque ele é polêmico, é perda de tempo. Eu gosto é de assunto polêmico! Se pensam que isso me assusta, estão enganados”, disse o parlamentar.

COMPARTILHAR