Pretinho busca recursos para a educação de Fundão com ajuda de Enivaldo dos Anjos

1606

Em comitiva à Secretaria de Estado da Educação (SEDU), o prefeito de Fundão, Pretinho Nunes (PDT) se reuniu com o secretário da pasta Haroldo Corrêa Rocha para apresentar a situação por que passa a educação no município recentemente assumido pelo pedetista.

O encontro, articulado pelo deputado Enivaldo dos Anjos (PSD), aconteceu durante a tarde desta quarta-feira, na sede da Secretaria, em Vitória. Ao lado de seu secretário municipal, Marcos Aurélio Soares, Pretinho falou da falta de infraestrutura apresentada por 11 das 13 unidades de ensino em atividade na cidade.

“Ao todo são 3.083 alunos matriculados em 13 escolas e somente duas têm condição de funcionar hoje”, explicou o prefeito que ainda revelou ter problemas com o aluguel de uma das escolas em bom estado.

“A cidade paga um aluguel alto para manter o imóvel já há 14 anos”, lamentou o prefeito que pretende ter auxílio do governo do Estado na construção de uma nova sede para a escola de Ensino Fundamental Dulce Loureiro.

“A proposta é construirmos uma sede nova para a escola e contemplar também os alunos da escola Ernesto Nascimento”, disse o gestor se referindo a uma segunda escola no Centro da cidade. Para o secretário Marcos Aurélio, a construção de um novo prédio não é o único ponto necessário para a restruturação da educação de Fundão.

Segundo ele, o município hoje investe recursos que não deveria na Educação de Jovens e Adultos, o que impediria a aplicação de verbas em áreas como a manutenção de escolas. “A legislação prevê que a educação de jovens e adultos seja de responsabilidade do governo estadual, mas em Fundão isso é responsabilidade do município já tem mais de dez anos. Gostaríamos de ter isso assumido pelo Estado”, disse.

Responsável pela secretaria de educação de Fundão desde o primeiro semestre, Marcos faz hoje parte da equipe de transição entre as gestões passada e atual. Para ele, o principal passo para a restruturação da educação municipal já foi dado com a valorização dos profissionais.

“Hoje todos os nossos servidores recebem o piso salarial. Houve um tempo em que os professores precisavam dormir em frente à prefeitura para garantir que seus salários fossem pagos. Isso mexe com a auto estima do profissional. O que fizemos foi valorizar as pessoas e trata-las com o devido respeito”, explicou o secretário.

Atualmente Fundão conta com mais de 450 servidores na área da educação, entre professores e demais profissionais da área.